Alunos da José Aldo são aplaudidos de pé em Mostra Cultural

alunos-jose-aldo-mostra-cultural
Corpo de baile

Aplaudidos de pé, alunos da Escola Municipal Deputado José Aldo dos Santos encerram a terceira noite de apresentações da Mostra Cultural nessa quarta-feira (29), na Sede Social Santiaguense.

A Mostra Cultural é resultado de oficinas do Projeto Novo Mais Educação, iniciado em maio deste ano, por meio de parceria entre os governos Federal e Municipal.

Desde segunda-feira (27), os pequenos roubaram a cena com espetáculos que trouxeram para o público dança, teatro e música.

Nas três noites, foram pelo menos 19 shows da Escola que abriga clientela dos anos iniciais do Ensino Fundamental.

Durante seis meses, dos 410 alunos da Escola, 350 optaram por participar de qualquer uma das cinco oficinas oferecidas pelo Programa.

Segundo a diretora da José Aldo, Elisângela Caputo de Castro, os alunos tiveram aulas extra turno que totalizaram sete horas a mais na carga horária semanal dos estudantes.

alunos-jose-aldo-mostra-cultural
Teatro de sombra de Ofélia

Além de dança, música e teatro, a Mostra contou com participação dos pequenos que fizeram oficina de informática.

Eles ficaram responsáveis pela produção de folders, convites e suporte multimídia nas apresentações da Mostra.

A Escola também conta com oficinas de futebol e jiu-jítsu, cujas apresentações ocorreram em junho passado.

Com a ampliação da jornada de estudos por meio das oficinas, Elisangela acredita que os alunos podem desenvolver habilidades que eles mesmos desconhecem ter.

“A Escola não é só um espaço de leitura e escrita. Teatro, dança, futebol também podem educar, pois valorizam as múltiplas inteligências, o que permite aos meninos descobrirem outras aptidões”, destaca a diretora.

Motivação

alunos-jose-aldo-mostra-cultural
Casa lotada

É o que não falta para a estudante Brenda Vieira, do 5º ano. Ela aprendeu que para ser uma atriz, precisa dominar várias habilidades.

“O teatro exige tudo. Tem que saber cantar, dançar, improvisar. O teatro é tudo na minha vida. Sonho em fazer turnês mundiais com minhas colegas de palco”, declara Brenda.

Quem também declara o amor pelas artes cênicas é outra estudante do 5º ano, Maria Rita Campos de Castro. “No começo, eu não queria participar, mas minhas amigas falaram que era legal. Então entrei e me apaixonei pelo teatro”, enfatiza Maria Rita.

Já Maria Eduarda de Campos, também do 5º ano, ficou dividida entre as oficinas de teatro e futebol. “Acho muito bom aprender jogar bola. Não tem nada melhor do que marcar um gol”, afirma.

Bárbara Resende é mãe da aluna Mariana Galvão. A funcionária pública faz questão de incentivar a filha. “Isso é maravilhoso, pois ocupa o tempo das crianças com algo útil, elas têm prazer de participar das oficinas, além de ter acesso a locais de cultura que não existem na cidade como teatro ou cinema”, completa.

Alunos, oficineiros e professores

alunos-jose-aldo-mostra-cultural
Coro em inglês

Embora não faça parte do Mais Educação, a professora de Inglês da José Aldo, Alessandra Castro, levou a música para a Mostra Cultural.

“O recurso musical é uma ferramenta muito importante no aprendizado de línguas. Com a música, conseguimos trabalhar escrita, leitura, audição e fala. Então, ensaiamos várias canções em inglês para as apresentações”, comenta Alessandra.

Oficineiro de Teatro, Vick Martins, conta que durante o ano trabalhou, além da representação, elaboração de cenário, figurino, maquiagem. Para ele, diferentes expressões artísticas se complementam na produção cultural.

“A arte é ampla. Não existe arte dividida. E os meninos entenderam isso, pois eles representam com a alma, com o coração. O resultado foi surpreendente”, acentua Martins.

Crítico do próprio trabalho, o oficineiro acredita que poderia ter um resultado melhor se tivessem mais aulas. “Com mais tempo, seria melhor. É muito difícil conceber uma peça com ensaios de oito em oito dias”, conclui.

trem-de-ler

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *