Ação dramatúrgica traz embate entre memória e o momento atual. Personagens se encontram em meio a assombrações que dilaceraram suas vidas, embora sonhem com o futuro

On encontro entre refugiado de Guerra e Policial da ditadura traz à tona memórias de horror, para ambos os personagens (Divulgação)
Encontro entre refugiado e policial da ditadura traz à tona memórias de horror, para ambos os personagens (Divulgação)

Do lado de trás do balcão da alfândega, um ex-torturador da Polícia Política na era Vargas. Assombrado pelos fantasmas do passado, é obrigado a conviver com memórias que sobrepujam o presente. Aliás, o presente é atormentado pelos demônios do passado, ininterruptamente.

À frente do alfandegário, um judeu, o polonês Clausewitz. Refugiado da Segunda Guerra Mundial, traz para o Brasil uma bagagem também recheada de horrores. O visto não é somente uma permissão legal para entrar no país. Mas o passaporte para fugir do que enfrentou na Europa e uma forma de caminhar para o futuro.

Esse é o mote do espetáculo “Novas Diretrizes em Tempos de Paz”, que será apresentada Municipal de Barroso, na próxima quinta-feira (10), às 20h. A entrada é gratuita e os convites e os convites ainda podem ser retirados na Associação Comercial e Industrial barrosense. Cada pessoa pode pegar até dois ingressos e a peça é recomendada para maiores de 14.

Segundo os diretores da peça, Fernando Couto e Danielle Fortunato, “muito mais que uma discussão sobre os horrores dos sistemas políticos autoritários, o texto propõe uma reflexão sobre o ser humano, seus demônios e suas virtudes. Um estímulo à reflexão sobre a busca de uma razão para estar vivo”, comentam. Veja o vídeo abaixo.

Fernando Couto e Danielle Fortunatto são atores, diretores e produtores teatrais. “Novas Diretrizes em Tempos de Paz” recebeu o prêmio Melhor Ator e indicação de Melhor Espetáculo do Prêmio Sinparc/Usiminas; inaugurou o Teatro de Bolso Júlio Mackenzie e representou o Brasil na Mostra Novas Dramaturgias Brasileiras e Francesas em Debates no Centro Cultural de São Paulo.      

A apresentação do espetáculo faz parte do projeto “Cultura & Cidadania”, aprovado na Lei Estadual de Incentivo à Cultua de Minas Gerais e conta com patrocínio de empresas e entidades públicas de Barroso. O projeto vai durar 12 meses.  

       

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *