Disque Denúncia completa 10 anos com 7,6 milhões de chamadas

disque-denuncia-181-10-anos
A ligação que faz diferença (Foto/Sesp)

O Disque Denúncia 181 (DDU) completa 10 anos esta semana com 7,6 milhões de chamadas. Por dia, em todo o estado, o número chega a receber duas mil ligações.

São pelo menos 256 relacionadas a ocorrências reais. Os dados são da Secretaria de Estado de Segurança Pública de Minas Gerais (Sesp).

Em uma década de existência, as denúncias pelo telefone ajudaram na apreensão de 33 toneladas de drogas, 18 mil armas de fogo, 167 mil prisões, apreensões, conduções e recapturas.

A Sesp também contabiliza a apreensão de R$22 milhões, parte proveniente do tráfico drogas e de jogos de azar. O saldo de telefonemas anônimos da população ainda contribuiu com a apreensão de oito mil balanças de precisão e 210 mil cartuchos de munição.

disque-denuncia-181-10-anos
Protagonismo da população

Para se ter uma ideia do crescimento do número de usuários do DDU, em 2008, ano de inauguração do serviço, foram 36.360 denúncias. Em 2017, apenas entre janeiro e outubro, as ligações pularam para 66.148. Aumento de 81%, comparado ao primeiro ano do 181.

O subsecretário de Integração da Sesp, Marcelo Vladimir Corrêa, comemora os resultados. Ele faz questão de destacar o protagonismo da população no balanço positivo obtido a partir da implantação do DDU em toda Minas Gerais.

“Nós creditamos o sucesso de todos os resultados alcançados à efetiva participação de cada cidadão nos 853 municípios do estado e à integração e empenho das forças policiais do Estado. Isso demonstra que a parceria entre cidadão e sistema integrado de segurança pública é um caminho que contribui para a redução da criminalidade”, defende Corrêa.

Ranking do Disque Denúncia

disque-denuncia-181-10-anos
Tráfico está no topo

No topo da lista, aparece o tráfico de drogas. Foram mais de 450 mil denúncias, o que representa 61% de todas as chamadas direcionadas ao 181 em uma década.

Em segundo lugar estão denúncias ligadas a atividades de bombeiros (vistorias de fiscalização, em sua grande maioria), seguida por jogos de azar e, depois, crimes ambientais.

Homicídios, pessoas foragidas e procuradas pela Justiça, maus tratos a animais, receptação, desmanche, comércio ilegal completam a lista das ligações mais comuns para o 181.

Belo Horizonte encabeça a lista de cidades com maior número de denúncias. Divinópolis e Sete Lagoas também aparecem nas top 15 do estado.

Com o slogan “O importante é o que você diz, não quem você é”, o DDU garante ao cidadão que as informações repassadas sejam trabalhadas de forma eficiente e qualificada. As ligações são criptografadas, o que assegura o sigilo absoluto do denunciante.

Quando não usar o 181

disque-denuncia-181-10-anos
Quando ligar

Segundo a Sesp, o DDU não oferece resposta imediata, já que existe um prazo de 90 dias para apurar e responder a denúncia apresentada.

Quando o cidadão precisar de uma resposta rápida, como em casos de flagrante, ele deve entra em contato direto com as corporações: Polícia Militar (190), Polícia Civil (197) e Corpo de Bombeiros (193).

As denúncias específicas de violência contra idosos, mulheres e pessoas com deficiência também não devem ser feitas pelo 181, mas pelo Disque Direitos Humanos (0800 031 1119). Um serviço gratuito, sigiloso, que também recebe ligações de todo o estado e funciona de segunda a sexta-feira, das 8h às 22h.

trem-de-ler

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *