felit-2017-marina-colasant
“Eu sei que a gente se acostuma. Mas não devia” (imagens da internet)

O 11º Festival de Literatura de São João del-Rei e Tiradentes (Felit) encerra suas atividades oficiais com a presença da artista plástica, escritora e jornalista, Marina Colasanti, neste sábado (23). Ela participa de mesa redonda no Municipal de SJDR, às 19h horas.

Além dos eventos oficiais, várias atividades paralelas movimentam os Campos das Vertentes desde o dia 12 deste mês, com intervenções artístico-literárias em vários estabelecimentos de São João del-Rei e Tiradentes.

Há 11 anos no calendário da região, o Felit se consolidou como palco de efervescência cultural que reúne pessoas ligadas a diferentes saberes da cena artística e intelectual das Vertentes, do Brasil e do mundo, como Marina Colasanti, aclamada pela crítica internacional.

felit-2017-marina-colasant
Tributo a Simões Coelho

Nomes como Ferreira Gullar, Ariano Suassuna, Ziraldo, Carlos Heitor Cony e Ignácio de Loyola Brandão figuram entre os homenageados do Felit. No entanto, em 2017, a grande personalidade aclamada pelo evento é o são-joanense Ronaldo Simões Coelho.

Aos 85 anos de idade, Coelho não para. Ele ainda se dedica à psiquiatria e à escritura. A inspiração vem de lendas urbanas que povoaramm a mente do menino apaixonado pelo livros desde que começou a ler e escrever.

“Este universo mágico o possibilitou a criar uma obra infantil consagrada. Ele já escreveu mais de 60 livros. Alguns selecionados para o catálogo da Biblioteca Internacional de Munique e outros tantos publicados em países de língua espanhola”, informa os organizadores do Felit.

Felit  

felit-2017-marina-colasant
Desafio de ser perene

Como boa parte dos eventos culturais realizados no Brasil, o Felit enfrenta desafios financeiros para continuar perene no calendário cultural das Vertentes. Com dificuldades para captar recursos, conta com a doação espontânea de doadores para emplacar cada nova edição.

“A Comissão Organizadora lançou uma grande campanha de sensibilização para levantar recursos para a sua realização. A campanha tem à frente a Associação Palavra Bem Dita, parceira do FELIT”, diz o site oficial do evento.

O formato, embora tímido, parece ter encontrado seu caminho. “O resultado começa a aparecer com dezenas, centenas de doadores anônimos dando sua contribuição. Da mesma forma, vários estabelecimentos comerciais têm aderido à campanha”, afirmam os organizadores.

Campanha que vai além dos eventos do Festival e estimula novos talentos. Desde 2008, a Felit realiza a oficina Jovens Autores entre estudantes de 8º e 1º anos. Com profissionais de várias áreas, os pequenos já produziram várias obras publicadas, legado que o Festival deixa para a novas gerações.