Manifestantes fecham estrada por conta de preço de passagens de ônibus

manifestantes-estrada-ibertioga-mg
Trânsito ficou parado na principal estrada que liga as duas cidades

Representantes de moradores de Ibertioga, a 44 quilômetros de Barbacena, agentes políticos e membros da empresa de ônibus Barraca se reuniram para discutir o novo preço cobrado pelos coletivos que ligam as duas cidades. O encontro foi na sede do DEER barbacenense, na tarde dessa terça-feira (09).

No início do ano, com autorização do Governo de Minas, as passagens aumentaram cerca de 3% em todo o estado. Com isso, os valores entre os dois municípios subiram de R$10,70 para R$11. O que causou descontentamento entre a população.

Não por acaso um grupo de ibertioganos organizou manifestação e interditou o trânsito na rodovia MG-338, na manhã dessa segunda-feira (08). Pneus foram colocados sobre a ponte do Rio Elvas e apenas veículos de emergência (ambulâncias e viaturas policiais) puderam passar pelo local que liga Ibertioga a Barbacena.

manifestantes-estrada-ibertioga-mg
Manifestação foi pacífica

Conforme os organizadores do movimento, Leinaldo Assis Ladeira e Uilson Lindsan de Albuquerque, a manifestação foi pacífica e teve o objetivo de reivindicar uma redução nos preços que começaram a ser praticados a partir de 1º de janeiro deste ano.

“O foco da manifestação não é apenas pelo aumento de R$0,30, e sim pelo valor excessivo de R$11 na passagem. Pois é o maior valor da região em ônibus coletivos”, afirmam os organizadores do movimento.

Resultados

manifestantes-estrada-ibertioga-mg
Protestos não devem acontecer até que saia um resultado

Durante o protesto, manifestantes decidiram liberar a estrada quando foi marcada a reunião dessa terça-feira. A partir do encontro, ficou decidido que o prefeito de Ibertioga, José Francisco Rodrigues de Almeida – o Juquinha – iria encaminhar um ofício para a Setop, Secretaria do Estado responsável pelos reajustes.

Em entrevista por telefone, o prefeito confirmou ao Trem de Ler que vai enviar o ofício para Setop. “A solicitação será para a Secretaria rever as planilhas de custos, se houve algum engano nos reajustes”, afirmou o prefeito.

A reportagem também entrou em contato com o advogado e contador da empresa Barraca, Edson Lima. Ele declarou que a empresa apenas segue determinação de reajuste anual proposto pela Setop por meio do DEER. “A empresa não tem autonomia para abaixar ou aumentar o preço de passagem”, completa Lima.

“Até que seja tudo resolvido, aguardaremos e não faremos mais nenhuma manifestação nos próximos dias”, garantem os organizadores do movimento.

Siga o TREM

→ No Twitterhttps://goo.gl/6ZYWzc

→ No Instagramhttps://goo.gl/1Ez5UM

→ No YouTubehttps://goo.gl/afzw13

trem-de-ler

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *