MST ocupa fazenda em distrito de Barbacena

mst-ocupa-fazenda-barbacena
Pelo menos 100 pessoas já estão no local (Fotos: Dowglas Silva/MST)

Membros do Movimento dos Trabalhadores Rurais sem Terra (MST) ocuparam uma fazenda em Correia de Almeida, distrito localizado a 24 quilômetros de Barbacena, no último sábado (13).

Segundo informações da Polícia Militar (PM), o acampamento tinha cerca de 100 pessoas e 29 veículos no início da ocupação.

Ao longo desta semana, são esperados mais 200 integrantes do MST, conforme disse um dos líderes do Movimento aos militares.

MST veio de Coronel Pacheco

mst-ocupa-fazenda-barbacena
Mais pessoas são esperadas ao longo da semana

As pessoas estavam numa fazenda em Coronel Pacheco (Zona da Mata). Mas por conta de um mandado de reintegração de posse, que deve ser cumprido nesta terça-feira (16), os assentados resolveram se deslocar para o distrito de Barbacena.

Conforme publicado no site do MST, a Fazenda da Serra, em Correia de Almeida, pertencia à Companhia Têxtil Ferreira Guimarães, antiga Companhia Industrial Valença.

As atividades industriais da Fazenda foram encerradas em Correia de Almeida em 2013. A propriedade chegou a ir a leilão, mas não foi arrematada por ninguém.

“Acumulando dezenas de processos, várias dívidas com a união e com o governo estadual, a empresa ocupa a posição de número 313 entre as 500 empresas que mais devem à previdência social”, informa o site do MST.

Ainda segundo o Movimento, a Fazenda em Correia de Almeida tem mais de quatro mil hectares que se encontravam “em completo estado de abandono”.

“Com a mudança de endereço as famílias do acampamento Gabriel Pimenta [Coronel Pacheco] têm a sua esperança renovada e a certeza de que a luta pela terra vai muito além das cercas de um único latifúndio.

Depois de visitar a local, a PM disse que o movimento é pacífico e que não foram encontradas armas de fogo no acampamento.

Siga o TREM

→ No Twitterhttps://goo.gl/6ZYWzc

→ No Instagramhttps://goo.gl/1Ez5UM

→ No YouTubehttps://goo.gl/afzw13

trem-de-ler

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *