São João del-Rei para nesta segunda para mobilização contra Aedes aegypti

De janeiro pra cá, já foram confirmadas duas mortes por dengue e outros 2247 pacientes com suspeita da doença. Município quer reduzir esses números com protagonismo da sociedade contra o mosquito

SJDR convoca população para guerra contra mosquito assassino (Foto: PAHO/WHO)
SJDR convoca população para guerra contra inseto assassino (Foto: PAHO/WHO)

Uma ação simultânea contra o mosquito Aedes aegypti vai parar São João del-Rei nesta segunda-feira (21). Batizado como “Dia D”, a data quer reforçar a importância de toda a sociedade atuar no combate do transmissor da Dengue, Chikungunya e Zika Vírus.

A mobilização começa às 7h30, no Coreto (Av. Presidente Tancredo Neves). Vestida de branco, uma equipe da Prefeitura vai fazer panfletagem e orientar os cidadãos a tomar medidas eficazes contra o vetor das doenças.

Às 9h, uma carreata vai sair do Coreto e percorrer alguns bairros da cidade, entre eles o Matosinhos, Vila Santa Terezinha, Bom Pastor e seguir de volta ao Centro, onde a mobilização continua até às 12h.

 As escolas também aderiram ao “Dia D”. Todas as instituições de ensino municipais e algumas estaduais e particulares vão ajudar na campanha. A partir das 8h30, estudantes fazem passeata de conscientização nos locais próximos dos colégios.

Os alunos entregam panfletos e afixam cartazes com dicas de combate ao Aedes. A Fundação Bradesco, na Cohab, vai passar de casa em casa para alertar os moradores. Os postos de saúde dos bairros também mobilizam pacientes.

Segundo a responsável pelo setor de Mobilização Social e Educação em Saúde da Secretaria de Saúde, Cintya Valéria Valente, o município implantou uma Comissão Permanente de Combate à Dengue em empresas de SJDR. Além de participar da carreata, elas vão promover mobilização interna junto aos funcionários.

No entanto, Cyntia enfatiza que ações de combate ao foco do mosquito Aedes aegypti não devem ficar restritas ao Dia D. Além disso ela convoca a população para ficar vigilante com objetos que podem acumular água e permitir a reprodução do inseto.

“Ações de prevenção e combate a essas doenças têm que ocorrer todos os dias. E com a chegada do calor e das chuvas, a atenção deve ser redobrada. Já que é neste período do ano que as estatísticas das patologias causadas pelo Aedes sobem mais”, afirma Cintya.

Pelo último levantamento do município, de janeiro até o momento, já foram registrados 1.663 casos de Dengue, sete casos de Chikungunya e dois óbitos. 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *