Escritor e jornalista de SJDR, Otto Lara Resende, chamou Minas de “República do Pão de Queijo”. Não é que pegou? Quitanda é protagonista de festa nas Vertentes

Celebridade da cultura da mineira, pão de queijo tem uma festa todinha só para ele (imagens da internet)

O “4º Festival do Pão de Queijo e Artesanato” de São Sebastião da Vitória celebra um dos principais símbolos da cultura mineira entre esta sexta-feira (26) e domingo (28). Os dois primeiros dias são recheados de atrações musicais, já a degustação da guloseima ocorre no último dia de festa.

Segundo uma das organizadoras, Luciana das Mercês Silva, quatro produtores da cidade participam da degustação de pão de queijo. A iguaria poderá ser apreciada a partir das 11h de domingo. Depois ela acontece em intervalos de duas em duas horas e se encerra às 19h. Tudo de graça.

A degustação ocorre na Praça Padre Lopes, Centro, onde estão montados 22 estandes. Quatro de pão de queijo, oito com artesanato exclusivamente local e mais dez barracas de comidas e bebidas.

Quem visitar a festa vai poder experimentar desde a guloseima tradicional, até sabores inusitados, como pão de queijo recheado com goiabada e queijo, o famoso Romeu e Julieta, com doce de leite, com frango, carne de panela e outras iguarias irresistíveis.

História  

Terra do pão de queijo, São Sebastião da Vitória inova nos sabores
Terra do pão de queijo, São Sebastião da Vitória inova nos sabores. Tem até casal famoso como recheio

Distante 18 quilômetros da sede, São João del-Rei, o distrito de São Sebastião da Vitória começou a produzir pão de queijo na década de 1930.

Segundo um dos produtores locais, Rogério de Andrade Ávila, foram seus avós maternos, Antônio Afonso Andrade Leite e Olíria Fonseca de Andrade, que iniciaram a atividade em Vitória.

“Eles se mudaram de São Miguel Arcângelo nos anos 30 e trouxeram consigo a receita de pão de queijo. Como aqui era rota da Estrada Real, meu avô, comerciante, começou a produzir a quitanda para vender para os tropeiros”, conta Ávila.

O produtor comenta ainda que empreendedores da cidade viram um potencial econômico na quitanda há cerca de 25 anos. “Como estamos no meio de uma rodovia e produzimos leite, polvilho, esses produtos foram aproveitados para produção comercial do pão de queijo”, comenta.

Luciana, a organizadora, completa que a produção local é toda familiar. “Os parentes se juntam e abrem pequenas indústrias de pão de queijo”. Hoje, o distrito conta com cinco dessas fabriquetas, que vendem seu produto principalmente para quem passa pela rodovia que corta o distrito, região de São João del-Rei e Sul de Minas.

A organizadora diz ainda que a festa é uma oportunidade de impulsionar o arranjo produtivo local. “O Festival traz visibilidade para o produto, que aumenta a demanda junto aos produtores, que aumenta o consumo de matéria-prima e, portanto, fazem a cadeia produtiva crescer”, enumera.

Programação

13900151_1250673081644562_5845304917439800856_n

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *