Vacinação antirrábica em São Tiago começa na próxima quarta

A vacinação antirrábica já está pronta para começar. Primeiro, será a vez de cães e gatos da zona rural. Em seguida, de animais de Mercês de Água Limpa e, finalmente, de São Tiago

Vacinação antirrábica em São Tiago
Ninguém aqui quer ficar raivoso

Reza a lenda que “agosto é o mês do cachorro louco”. Mas, para evitar que cães e gatos contraiam a raiva, a Secretaria Municipal de Saúde (SMS) vai iniciar a vacinação antirrábica em São Tiago a partir de 1º de setembro.

O calendário de vacinação tem datas específicas para diferentes localidades, em todo o município. Entre 1º e 28 de setembro, será a vez de animais da zona rural.

Em Mercês de Água Limpa, a vacinação será no dia 29 de setembro. Ao passo que, animais de São Tiago, deverão receber a vacina entre 30 de setembro e 05 de outubro (clique aqui para ver o calendário completo).

Conforme o coordenador de Vigilância Epidemiológica e Ambiental da SMS, Joel Amâncio, o Município recebeu do governo do Estado 3,2 mil doses. Ainda de acordo com o servidor, as vacinas acontecem em duas etapas.

“Na primeira, vamos vacinar cerca de 2,8 mil cães e gatos. A segunda etapa é apenas para aqueles animais que nunca foram vacinados. Ou seja, eles recebem dose extra para a imunização ficar completa”, explica Amâncio.

No entanto, um dos problemas da vacinação são os animais de rua, em situação de abandono. Representantes da ONG “Amigo 4 Patas” fazem um apelo aos leitores do Trem de Ler.

“Moradores que tenham conhecimento de algum animal em situação de rua podem nos ajudar, levando cães ou gatos para serem vacinados”, solicitam os representantes da ONG.

Vacinação segura

Vacinação antirrábica em São Tiago
Vacinação é segura e segue protocolos sanitários

Conforme Amâncio, a vacinação antirrábica em São Tiago segue protocolos de segurança para os animais e tutores. Por isso, os servidores municipais responsáveis pelas aplicações da vacina passaram por treinamento na Gerência Regional de Saúde.

“Há uma seringa para cada animal, para evitar contaminações. Além disso, as vacinas devem ficar em temperatura controlada, entre 2º e 8º. Assim, não é possível que uma pessoa pegue a vacina e leve para aplicar em casa”, enfatiza o coordenador da epidemiologia.

Amâncio lembra ainda que os tutores que forem levar os animais devem ser adultos, além de cumprirem algumas regras ao conduzirem cães e gatos aos locais de vacinação. Assim, o procedimento fica mais seguro.

“Cães devem estar na coleira. Se o animal for agressivo, ele deve ir com focinheira. Nós temos o equipamento, mas só usamos durante a aplicação. Não podemos emprestá-lo para buscar o animal em casa, porque isso pode gerar filas”, comenta o coordenador.

Para gatos, Amâncio comenta que “o ideal é que eles sejam levados em sacos de linha. No colo, os gatos podem ficar estressados com os cães e fugirem. Além disso, durante a aplicação da vacina, eles podem unhar o dono ou o aplicador”, completa.

Todos os anos, a SMS produz carteiras de vacinação. No entanto, Amâncio pondera que é importante que os tutores levem o documento que já possuem para verificar o histórico vacinal e garantir a saúde do animal.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Enviar mensagem