Variante Delta em Minas: SES confirma transmissão comunitária

Variante Delta se espalha por Minas Gerais e já atinge 39 cidades. Linhagem preocupa porque é mais transmissível e faltam estudos que comprovem eficácia das vacinas, conforme Organização Mundial da Saúde

Variante Delta em Minas
Sul de Minas e Zona da Mata já tem casos

A Secretaria de Estado de Saúde (SES) anunciou que variante Delta já apresenta transmissão comunitária em Minas Gerais. Ou seja, a nova linhagem circula livremente e não é possível mais identificar sua origem.

As informações da SES foram divulgadas nessa segunda (23) e apontam 12 casos confirmados e 79 casos prováveis da variante Delta em Minas Gerais. Entre esses casos, dois evoluíram para óbito.

Conforme dados da SES, o perfil de positivados pela variante Delta é de pessoas entre 8 a 93 anos, com mediana de 48 anos. Entre os 91 casos, 51 foram diagnosticados em mulheres e 40, em homens.  

Ainda de acordo com levantamento da SES, Belo Horizonte é cidade com mais casos, 11 no total. A capital mineira vem seguida por Itabirito, com dez. Juiz de Fora aprece em terceiro, com nove.

A partir da disseminação da variante, a SES intensificou o estudo genético de amostras do coronavírus em Minas Gerais. Para isso, a Secretaria conta com o apoio de várias instituições de pesquisa como a Funed e a UFMG, a quais monitoram a variantes no estado em tempo real.

Variante Delta

Mais transmissível, mesmo com vacinas

A variante Delta foi identificada pela primeira vez na Índia, em dezembro de 2020. Até o momento, a Organização Mundial da Saúde (OMS) lista 129 países com casos da Delta. Outros 19 estão em investigação.  

Conforme dados do governo britânico, a Delta é entre 40% e 60% mais contagiosa do que a variante Alfa (detectada na Inglaterra). Além disso, a variante é quase duas vezes mais transmissível do que a cepa original identificada em Wuhan, China.

Estudos preliminares do Centro de Controle e Prevenção de Doenças (CDC, na sigla em inglês) do Estados Unidos indicam que a variante Delta é mais transmissível, mesmo em pessoas já vacinadas.

“As variantes anteriores produziam menos vírus no corpo de pessoas totalmente vacinadas. Por outro lado, a variante Delta parece produzir a mesma quantidade de vírus em pessoas não vacinadas e totalmente vacinadas”, diz o CDC.

A Delta foi classificada pela OMS como uma variante de Atenção e/ou preocupação sob vigilância mundial. Isso porque ela é mais transmissível e faltam estudos que comprovem a eficácia dos imunizantes disponíveis.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Enviar mensagem