Vertentes quer ser polo de produção de figos e uvas

vertentes-producao-figo-e-uva
Fruta ou doce, figo garante aumento da renda familiar

Pelos Campos das Vertentes é comum ver regiões de pastagem, plantações de café e eucalipto. Mas duas novas culturas vêm sendo introduzidas na região, as de figos e uvas. Frutíferas de clima temperado que se adaptam bem ao friozinho local e possuem fácil manejo.

Por meio da Empresa de Pesquisa Agropecuária de Minas Gerais (Epamig), estão sendo instaladas Unidades Demonstrativas de fruticultura (UDs). Cinco delas foram finalizadas em dezembro, três no município de Ibertioga e duas em Carandaí. Os plantios nas duas cidades são de videiras da variedade Niágara Rosada.

Atualmente, a Epamig conta com 27 UDs espalhadas pelos municípios de Barroso, Prados, Resende Costa, Lagoa Dourada, Coronel Xavier Chaves, Tiradentes, São João del-Rei, Carandaí, Ibertioga e Piedade do Rio Grande.

Conforme a Epamig, todas as UDs das Vertentes estão em propriedades particulares. A Epamig se responsabiliza pelo repasse de tecnologias e fornecimento de mudas, e extensionistas da Emater-MG prestam assistência técnica.

Segundo os pesquisadores Paulo Norberto e Ângelo Albérico, responsáveis pela implantação e orientação técnica das UDs, a diversificação de cultivo é uma alternativa para pequenos e médios produtores e também para os municípios, que ganham nova fonte de renda com as frutas e doces resultantes dessa ação.

“As UDs acabam incrementando a renda de 27 famílias e, o mais importante, motivam outros produtores a ampliar a área cultivada com frutas”, fazem coro os dois pesquisadores. Dessas 27 Unidade, 14 são dedicadas exclusivamente às videiras.

Vertentes diversificadas

vertentes-producao-figo-e-uva
Diversificação no campo e na mesa dos consumidores

Segundo a Epamig, os produtores, geralmente, iniciam a plantação com figueiras, por ser uma cultura de manejo relativamente fácil, com a característica de geração de alto valor agregado, por meio da confecção de doces.

Os figos ainda têm outro importante papel na economia das Vertentes. É que a agroindústria da região é carente dessa matéria-prima para seu “pleno funcionamento”, diagnostica a Epamig.

Numa segunda fase do programa, quando os produtores já estão mais familiarizados com o manejo, passa-se para o cultivo de outras frutíferas como o da uva de mesa, das variedades Niágara rosada e Niágara Branca, muito apreciadas pelos consumidores e com bom preço de mercado na região.

Segundo o secretário Municipal de Meio Ambiente e Agricultura de Ibertioga, Moacir Oliveira, cerca de 90% da produção da região vem da monocultura do leite. Para mudar esse cenário, três pequenos produtores receberem 600 mudas de videira Niágara rosada. Eles serão acompanhados por pesquisadores da Epamig durante todo o processo.

“O presidente da Epamig, em visita ao município, comentou conosco a possibilidade de plantarmos oliveiras em Ibertioga. Como não temos frio suficiente, os pesquisadores da Epamig sugeriram o cultivo da videira”, destaca Moacir.

trem-de-ler

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *