São Tiago não está em lista de municípios que teriam aplicado doses vencidas da AstraZeneca

A informação foi publicada pelo jornal Folha de S. Paulo nesta sexta (2). Fiocruz, fabricante da vacina no Brasil, apura os fatos. Prefeitura emitiu nota reiterando que Município não aplicou nenhuma dose vencida  

O jornal Folha de S. Paulo denunciou nesta sexta (02) que 26 mil doses da vacina AstraZeneca teriam sido aplicadas fora do prazo de validade.

Segundo a Folha, “os dados constam de registros oficiais do Ministério da Saúde”.

O jornal contabiliza ainda que as doses vencidas abrangeriam 1.532 municípios em todo o país.

Na listagem divulgada pela Folha, São Tiago não aparece entre as cidades mineiras que teriam administrado o imunizante já expirado.

A reportagem não deixa claro como a Folha teve acesso ao banco de dados de vacinas.

Mas explica que cruzou informações do Datasus e do Sage (sistemas de saúde do governo) para chegar ao possível número de pessoas que teriam sido vacinadas com a AstraZeneca vencida.  

A Folha ainda afirma que teriam sido aplicadas, fora do prazo, vacinas de oito lotes da AstraZeneca. Esses lotes corresponderiam a 3,9 milhões doses, entre as quais estariam as 26 mil com validade expirada.  

Número do loteVencimento
4120Z00129.mar
4120Z00413.abr
4120Z00514.abr
CTMAV50130.abr
CTMAV50531.mai
CTMAV50631.mai
CTMAV52031.mai
4120Z0254.jun
Fonte: Folha de S. Paulo

Cada pessoa vacinada recebe um cartão com os lotes do imunizante. Confira o seu.

O que diz a prefeitura

A Prefeitura Municipal de São Tiago, por meio de sua Secretaria de Saúde, informa a todos os cidadãos que o município não recebeu nenhuma dose dos oito lotes da vacina AstraZeneca que, segundo matéria publicada pela Folha de São Paulo, hoje, sexta-feira (02), estavam com o prazo de validade expirado.

Ainda que a macrorregião Centro-Sul tenha recebido parte dos lotes, a Administração reitera que nenhuma dose do imunizante foi aplicada em São Tiago ou Mercês de Água Limpa”.

O que diz o Ministério da Saúde

Os estados são orientados a distribuírem imediatamente os imunizantes recebidos, sendo obrigação dos gestores locais do Sistema Único de Saúde (SUS) fazer o armazenamento correto e a aplicação das doses dentro do prazo de validade”.

O que diz a Fiocruz

Todas as doses das vacinas importadas da Índia (Covishield) foram entregues pela Fiocruz em janeiro e fevereiro dentro do prazo de validade e em concordância com o MS [Ministério da Saúde], de modo a viabilizar a antecipação da implementação do Plano Nacional de Operacionalização da Vacinação contra a Covid-19, diante da situação de pandemia. A Fiocruz está apoiando o PNI [Programa Nacional de Imunização] na busca de informações junto ao fabricante, na Índia, para subsidiar as orientações a serem dadas pelo programa àqueles que tiverem tomado a vacina vencida”

Clique aqui para ler a matéria da Folha

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Enviar mensagem