Bancos e Correios são prioridade para vacina contra covid

O Ministério da Saúde anunciou que trabalhadores de bancos e Correios formam novo grupo de prioridade para vacina covid. Profissionais que atuam em São Tiago recebem notícia com alívio

bancos_correios_prioridade_vacina_covid
Imagem ilustrativa

O Ministério da Saúde anunciou que trabalhadores de bancos e Correios são prioritários para vacina contra a covid-19. O anúncio foi feito pela Pasta nessa terça (6), o que trouxe alívio para profissionais que atuam nessas áreas em São Tiago.

A agente comercial Luciana Caputo conta que a rotina do banco expõe os funcionários ao contato com muitas pessoas. Além disso, a bancária lembra que o contato com as cédulas é outro motivo de preocupação. Isso porque o dinheiro circula por diversas mãos e pode trazer o coronavírus.  

“Apesar de tomar todos os cuidados como o uso de máscara e álcool em gel, não me sinto muito segura, devido ao fato de estarmos constantemente expostos”, destaca Luciana.

Mas a notícia de inclusão da categoria aos outros 27 grupos prioritários existentes trouxe alívio para a agente. Não por acaso ela ressalta que a segurança sanitária é uma exigência para que o serviço não pare por um possível surto de covid-19.

“Fiquei muito feliz com a notícia de que os bancários foram incluídos nos grupos prioritários da vacinação. Pois, assim, trabalhamos com mais segurança. Os bancos prestam um serviço essencial e não podem interromper o atendimento à população”, reitera Luciana.

Embora os Correios tenham liberado a coleta de assinaturas dos usuários durante as entregas, o carteiro Marcelo Lopes diz que tem contato com muitas pessoas, o que pode colocar em risco a saúde do profissional.

“Nós estávamos muito ansiosos para sermos vacinados, porque não esperávamos que os Correios fossem entrar como prioridade. Apesar da demora, estamos na expectativa de receber a vacina o mais rápido possível”, salienta Lopes.

Cooperativas e vacina

bancos_correios_prioridade_covid

Gerente da agência do Sicoob de São Tiago, Lidiane Reis afirma que a instituição adota todos os protocolos de prevenção. No entanto, por atuar como em um banco, ela se diz insegura, dado o número elevado de pessoas que circulam pela cooperativa todos os dias.

A notícia sobre a inclusão no grupo prioritário traz alívio para a gerente. Mas ela também ressalta a preocupação com outros setores que julga fundamentais e que ainda não foram incluídos nas prioridades.

“Recebo a notícia aliviada pela nossa categoria, mas também angustiada com tantos outros trabalhadores dos serviços essenciais que ainda não tiveram acesso às vacinas como os funcionários de supermercados que, assim como nós, se expõem diariamente ao risco”, enfatiza Lidiane.

O Ministério da Saúde ainda não divulgou nota técnica sobre a ampliação para os bancários. Por isso, trabalhadores de cooperativas de crédito podem ou não serem incluídos nesse grupo, apesar de desempenharem as mesmas funções.

Em nota enviada ao Trem de Ler, o setor de Comunicação e Marketing do Sicoob Credivertentes diz receber a notícia com “otimismo e cautela”.

A instituição faz parte do Sistema Financeiro Nacional e é regida pelo Banco Central, assim como os bancos. Dessa forma, exerce um serviço considerado essencial e se submete aos mesmos protocolos de fiscalização e proteção. Por outro lado, as cooperativas financeiras não foram citadas nominalmente no anúncio feito pelo Ministério da Saúde. Assim, o posicionamento é de espera pela portaria prometida para esta sexta-feira (9), sem deixar de lado a postura positiva com o avanço da vacinação”.

O Trem de Ler também entrou em contato com a Secretaria Municipal de Saúde. A Pasta do executivo local informou que ainda não recebeu os informes técnicos sobre colaboradores de cooperativas financeira e que também aguarda um posicionamento do Ministério.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Enviar mensagem