Bandeira vermelha 2 fica 52% mais cara em julho

São-tiaguenses recebem notícia com preocupação. Aumento na energia gera efeito cascata e puxa para cima preço de mercadorias e serviços

Do jeito que os preços sobem, já tem quem sugira luz de vela

A Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) aprovou reajuste de 52% na bandeira vermelha patamar 2, a mais cara de todas. Os novos valores já vão aparecer nas contas de julho e devem continuar, pelo menos, até novembro.

Na prática, cada 100 quilowatt-hora (kWh) consumido vai passar de R$6,24 para R$9,49. Conforme a Aneel, a bandeira foi reajustada pela falta de chuvas, o que gera queda nos reservatórios das hidrelétricas. Isso exige o acionamento de termelétricas com custos mais elevado para geração de energia.

Também houve mudança nos preços das outras bandeiras. A amarela vai passar de R$1,34 para R$ 1,87 a cada 100 kWh. A vermelha patamar 1, sofreu redução, de R$4,16 para R$ R$ 3,971 a cada 100 kWh.  

Dono de açougue em São Tiago, Rafael Resende relata que o tipo de comércio que atua não tem jeito de economizar na conta de luz, já que os produtos precisam ficar refrigerados ou congelados 24 horas. Com isso, todos vão sentir o bolso mais salgado no final do mês.

“Isso gera um efeito dominó, pois pode ser preciso repassar a taxa extra para o consumidor final. Uma alternativa é diminuir as mercadorias disponíveis para os clientes, o que reduziria nossos custos de manutenção, mas deixaria as pessoas desabastecidas”, pontua Resende.

Outra alternativa seria a utilização de energia proveniente de fontes renováveis. Mas, segundo Resende, “isso demanda investimentos altíssimos, o que também seria repassado ao consumidor final”, declara o empresário.

Professora aposentada, a são-tiaguense Beth Coêlho também recebeu com preocupação a notícia do aumento. Para ela, os brasileiros podem passar momentos muito difíceis, já que a pandemia também afeta a saúde financeira do país.

“O orçamento familiar, que é dividido com meu marido, tem remunerações com valores congelados, enquanto o preço de quase tudo está subindo. Com isso, o impacto é grande na renda familiar, mesmo porque não sabemos quanto de energia estamos consumindo em um dado momento. No final do mês, podemos ser surpreendidos com um valor muito alto na conta de luz”, acrescenta Beth.  

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Enviar mensagem